sábado, maio 23, 2015

A VOZ DE UMA PROFESSORA MUNICIPAL DE CAMPOS

(Pelo in box)

Não vou medir palavras. Quem costumava ler minhas incansáveis denúncias, sabe o que um professor passa para conseguir seus objetivos.Mas o que faz eu retornar ao facebook é a tristeza ao observar que muitas educadoras depois de conseguirem seus objetivos pessoais, esquecem que somos uma CLASSE DE PROFESSORES e que mesmo que faça parte de uma escola estruturada(pouquíssimas no âmbito de 239 escolas, não totalizam nem 15%), devem ter o DEVER de participar pois na hora de receber os DIREITOS, há de se entender que TODOS serão contemplados. 

Desde criança que escutava a minha mãe dizer que os governantes nunca veem a educação como prioridade, isso é notório. Contudo, pude observar quantas orientandas do PNAIC estavam lá na praça,sem contar algumas orientadoras também, isso reflete o quanto estamos batalhando na escola, capacitando-nos, LUTANDO na rua com a conscientização da população, isto prova e demonstra o quanto somos capazes e o quanto devemos cada vez mais, esmerarmos para e pelo melhor para nossos educandos. 

Lá na praça não estavam subservientes, DAS ou cargos "transeuntes", estavam sim BRAVAS GUERREIRAS, que continuarão a lutar dia após dia em prol de uma EDUCAÇÃO DIGNA, JUSTA E IGUALITÁRIA PARA TODOS OS ALUNOS. 

E eu conclamo aos que leem agora e que se acovardaram, ou melhor, se omitiram, que coloquem as MÃOS NA CONSCIÊNCIA, as mesmas que você utiliza para clamar ao criador nas horas de desespero, e não deem ouvidos aos seus pares que citam que os governantes nunca farão pela educação.Escutava minha mãe , mas sempre sonhava em ser professora...realizei meu sonho! Porém, não posso fazer das palavras da minha progenitora algo que vá me desestimular; se os governantes não cumprem com o DEVER deles, nós eleitores daremos uma resposta com o nosso DIREITO de voto nas próximas eleições. 

Professor a conscientização dos DIREITOS e DEVERES do cidadão estão nas nossas mãos, quando utilizamos sem manobra de persuasão , mas sim com a politização e o exercício da cidadania . Pra frente que se caminha, pra frente que se alcança...RETROCEDER JAMAIS!!!

(Luciana Marques, professora municipal)

sexta-feira, maio 22, 2015

PROFESSORES VOLTAM ÀS SALAS NA SEGUNDA, MAS MANTÊM ESTADO DE GREVE

Os profissionais da Educação de Campos voltarão às salas de aula, na próxima segunda feira, 26, mas ainda em estado de greve, depois de uma ocupação histórica do pátio interno da prefeitura, por mais de 6 horas, e uma assembléia pública na praça do Santíssimo Salvador, com mais de 600 professores. O movimento grevista mantém a pauta de reivindicações, de reajuste anual, revisão do plano de cargos e carreira, concurso publico para vagas abertas com a demissão de contratados e melhoria imediata da infraestrutura das unidades da rede oficial.

Ao final, do movimento, duas questões se sobressaem:  a unidade da categoria e o espectro de um governo autoritário, repetente e em frangalhos.

Leia matéria sobre o assunto na Folha da Manhã.

EM CAMPOS, CARNAVAL FOI PRO PAU!

Do G1:

'Campos Folia' 2015 é cancelado e carnavalescos amargam prejuízo

Liga afirma que vai pedir ressarcimento à Fundação Zumbi.
Crise do petróleo foi apontada pela prefeitura como o motivo da suspensão.

Dulcides NettoDo G1 Norte Fluminense
Amigos da Farra leva muitas cores e emoção ao Carnaval de Campos, RJ (Foto: Divulgação/ Secom)Prefeitura cancelou a festa desse ano, e Carnaval deve continuar fora de época. Porém, uma semana antes do Carnaval no calendário oficial (Foto: Divulgação/ Prefeitura de Campos)
Após adiar por duas vezes, a Prefeitura de Campos resolveu cancelar o Campos Folia 2015, Carnaval fora de época de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. O evento chegou a ser marcado para o meio e final de junho, e as agremiações afirmam que tiveram gastos com a preparação da festa. A Liga Independente das Escolas de Samba (Liescam) vai enviar ofício para a Fundação Zumbi dos Palmares, responsável pelo repasse de verbas,  solicitando pelo menos 50% de subvenção. Os carnavalescos não informaram o total do prejuízo. Através de nota, o governo municipal alegou que a atual crise econômica do país fez com que o município tomasse essa decisão.
"Fizemos muitas dívidas. Estamos com o nosso Carnaval pronto e precisamos de pelo menos 50% da verba que seria repassada às escolas. Foram feitas compras, a gente leva um ano para preparar o desfile", declarou Marcelo Velasco, vice-presidente da Liescam, que se reuniu na manhã desta sexta-feira com a Procuradoria do Município e foi orientado a fazer o ofício de solicitação.
A notícia do cancelamento foi recebida com choro nos barracões, segundo Velasco. De acordo com ele, os carnavalescos acham justo que a prefeitura suspenda também as Festas do Fundão, Coesa e São Salvador.
"Se não pode ter Carnaval, também não vai poder ter outra festa. Se tivéssemos certeza que a crise acabaria com o Carnaval cancelado, eu mesmo teria conversado com os carnavalescos para suspender a festa este ano. Estamos impedidos de levar alegria para a população de Campos. É muito triste", disse o vice-presidente da Liescam, informando que os desfiles dos bois pintadinhos, que ocorreria em agosto, também foi cancelado.
No mês de março deste ano, a Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL) informou que tinha atentido ao pedido dos carnavalescos de transferir para a primeira quinzena de junho o Campos Folia 2015. No início de maio, a prefeitura alterou novamente o calendário da festa para o final de junho. O município propôs que o Carnaval seja realizado somente em 2016, entre os dias 29 e 31 de janeiro, uma semana antes da festa no calendário oficial.
Em nota, a prefeitura disse que os carnavalescos vão se reunir já nesta sexta-feira para discutir o Carnaval do próximo ano, que será realizado através de parcerias com a iniciativa privada.
"Devido a crise internacional da cotação do barril do petróleo e a redução brusca das participações especiais, a Prefeitura de Campos está redimensionando as atividades, inclusive o calendário de eventos", disse a nota.

PROFESSORES ACAMPADOS NA PREFEITURA

(Do sitio www.noticiaurbana.com.br)



IMAGENS DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO NO CESEC

Imagens da manifestação dos grevistas da Educação no entorno do CESEC;

(Do mural do Fabiano Seixas)


GREVISTAS SÓ NEGOCIAM COM A PREFEITA

(Foto de Priscila Alves - Jornal Terceira Via)
Um grupo de grevistas da Educação está acampado no pátio interno da prefeitura de Campos. Centenas de manifestantes estão postados nas entradas do Centro Administrativo (CESEC), onde realizam uma  assembléia pública. O comando de greve já aprovou que as negociações, a partir de agora, são, exclusivamente, com a prefeita. Não aceitam mais falar com secretários.

A reação dos grevistas assustou o governo, que vinha se valendo de medidas coercitivas, tais como corte do ponto e elaboração de listas de grevistas, por parte das diretoras da creches e escolas.

Neste momento, guardas civis e policiais militares continuam no interior do prédio e em seu entorno. Os grevistas prometem só desocupar o pátio depois que houver uma negociação com a prefeita, que, até o momento, não deu qualquer declaração sobre o movimento grevista.

MANIFESTANTES DA SAÚDE SE JUNTAM AOS GREVISTAS DA EDUCAÇÃO

Profissionais da Saúde de Campos se juntam aos grevistas da Educação. que há cerca de duas horaas ocupam, pacificamente, o pátio da prefeitura.


GREVISTAS CERCAM, PACIFICAMENTE, O CESEC

(Do mural da Gabi Alvarenga, no facebook)
Os profissionais da Educação de Campos, em greve desde o início da semana, promoveram, agora há pouco, um ato público no centro da cidade, seguiram em passeata até o Centro Administrativo da prefeitura (CESEC) e planejam ocupar o pátio, à exemplo do que fez a prefeita, quando foi afastada por decisão judicial. Guardas civis e policiais militares estão no entorno do prédio.

Professores alimentam as redes sociais com informações, à todo momento. Há poucos instantes chegou ao local, um trio elétrico e dentro de alguns minutos, os grevistas farão uma assembléia pública para decidir os rumos do movimento.

Mai informações daqui à pouco.

VEJAM O ESTADO DESTA CRECHE

Condições físicas da creche Jardim Ceasa:


quinta-feira, maio 21, 2015

GREVISTAS DA EDUCAÇÃO PROMOVEM ATO PÚBLICO NESTA SEXTA



Os profissionais da Educação de Campos, em greve desde a última segunda feira, 18, promovem nesta sexta feira, 22, um grande ato público na Praça do Santíssimo Salvador, às 15h, quando denunciarão a precariedade das escolas e creches da rede municipal e as manobras do governo para minar o movimento, que defende a garantia de conquistas trabalhistas, legitimadas na Constituição, entre as quais, o aumento anual e a revisão do Plano de Cargos e Carreira.

Durante todo o dia, mesmo sob ameaça de corte de ponto e da ação policialesca das secretarias de Educação e de Gestão e Pessoal, que pressionaram diretores das unidades, a elaborarem listas com nomes dos grevistas, professores e demais profissionais da Educação panfletaram no entorno das escolas, informando aos pais de alunos, sobre os motivos que provocaram a greve.

De parte do governo, a reação à continuidade da greve, foi imediata. Coube ao secretário de Gestão e Pessoal, Fábio Ribeiro, declarar que estava encerrada a negociação com o SEPE e que, a partir de então, só haveria entendimento com o Siprosep - sindicato dos servidores municipais.

Diante do impasse, os grevistas redobraram a mobilização e prometem levar ao conhecimento da sociedade, as condições reais das escolas, que não aparecem na propaganda oficial. Após o ato público desta sexta, a categoria volta a se reunir em assembléia para deliberar sobre os rumos do movimento.