sexta-feira, novembro 28, 2014

PREFEITURA DEIXA MORADORES ILHADOS

Os moradores bem que avisaram.
A empreiteira contratada pela prefeitura de Campos para reformar a rua Lacerda Sobrinho e adjacências, próximo ao restaurante Orelhão, abandonou a obra, depois de arrancar os paralelepípedos do meio-fio e rebaixar o piso urbano, deixando os bueiros acima do nível.
Resumo da ópera bufa: todo mundo alagado e preso em  casa, além de lama pra todo lado. Veja:


SALDO FINAL DA OPERAÇÃO DA PM, EM CAMPOS

Mais sete motos e um carro foram apreendidos na noite desta quinta (27) em Operação realizada no município de Campos pelo 6° Comando de Policiamento de Área. No total foram apreendidas 22 motos e dois veículos, dois elementos foram presos, sendo um deles por tráfico de drogas, além de 101 papelotes de cocaína, 26 pedras de crack e duas armas brancas apreendidas.  Para a Operação, que teve o apoio da PRF e da Guarda Civil Municipal, foram empregados 140 Policiais Policiais Militares de todos os batalhões da área de atuação do 6º CPA (8°, 29°, 32° e 36° BPM´s), 29 viaturas e 10 motos patrulhas

Atc,

P5 do 6° CPA

quinta-feira, novembro 27, 2014

CIRURGIA DE DONA MARIA BASTOS DEVE SER NA TERÇA QUE VEM

Daqui à pouco, vou postar um vídeo da visita que fiz, à convite da família, a pacientte, dona Maria Bastos, na enfermaria da ortopedia da Beneficência Portuguesa, hoje, 27.

As filhas da idosa se revezam, ao seu lado, na cama e já assistiram (03) três vezes,  a senhora ser preparada para a cirurgia reparadora de quebradura de femur, cumprir dieta zero e no final do dia, ficar sabendo que o procedimento cirúrgico foi suspenso.

O quadro é desolador. Uma octogenária definhando numa cama de hospital. E, ao seu redor, familiares impotentes.

Numa postagem, no facebook, hoje, 27, o jornalista Carlos Cunha, reproduziu o diagnóstico do médico Ricardo Madeira, sobre o caso de dona Maria. Segundo ele, “Trata-se de uma pessoa idosa, sem muita capacidade física para enfrentar uma cirurgia, usuária de medicamentos anticoagulantes. Tem que ser feito uma reabilitação na paciente, e ir aos poucos retirando o anticoagulante sem por em risco que a paciente possa criar coágulos que podem levar a óbito. Somente sob segurança é que a cirurgia pode ser realizada. Enquanto isso, várias cirurgias continuam sendo efetuadas, nos pacientes que estão aptos”. 

Meu Deus, por que essa explicação não foi dada à família desesperada? Ora, se a questão tem um complicador físico, é natural, compreensível e até, digo mais, é obrigação do médico, só intervir quando houver segurança clínica.

Acabo de ligar para o neto de dona Maria Bastos, Vítor, que a acompanha no Hospital e ele me informou que a cirurgia não deverá passar da própxima terça feira, 2 de dezembro.

Estou e permanecerei vigilante no episódio em questão, mas não servirei de coadjuvante, nem protagonista, de uma guerra insana políticopartidária que teima em dividir as pessoas entre anjos e demônios, sobretudo, quando o que está em jogo é a vida de uma senhora que sofre. 

Compostura, senhoras e senhores, a dor não tem partido, mas tem pressa.

E SE FOSSE A MÃE DELES?

(Do mural da Reginacoéli Bastospessanhadesouza, no facebook)

Essa é minha mãe, senhora de 85 anos e está internada desde o dia 17 de outubro com fratura de fêmur aguardando uma cirurgia que não acontece, por conta do descaso e da falta de humanidade do hospital e dos "profissionais" responsáveis pelo setor de traumatologia.Hoje por exemplo ela ficou sem assistência,pois nossos profissionais não compareceram. Essa é a situação da saúde em nossa cidade que está à deriva.

Estamos tentando de todas as formas uma solução, por que nossa mãe não merece passar por isso,ela chegou falando e hoje está desse jeito, não podemos assistir de braços cruzados. Precisamos cobrar de nossos governantes o que é nosso de direito. pagamos impostos e não é pouco. Deixaram-na duas vezes em jejum aguardando cirurgia até as 14h e não aconteceu. Isso não é descaso...isso é maldade! Já procurei recursos com as pessoas capacitadas para resolver esta situação, mas foi em vão. 
Por isso estou publicando aqui a minha indignação quanto a tudo isso e meu objetivo é tornar essa situação pública. Já falei com os profissionais com quem tive contato que estou vendo minha mãe enfraquecer a cada dia, porém não vou ver isso sem lutar, sem reclamar e sem pedir a ajuda que for possível. Conto com a colaboração de quem ler esse relato para que leve este protesto adiante e me ajude nessa causa.

PUBLICADO EXTRATO DA "VENDA" DOS ROYALTIES

(Colaboração do leitor)

Está aí a autorização de "venda" dos royalties, no período de 2014 a 2016, ao Banco do Brasil, como artifício de antecipação de receitas. Os termos do Extrato de Contrato não deixam dúvidas: "contratação de cessão definitiva de parte dos direitos creditórios decorrentes da participação especial pela exploração de petróleo e gás natural, conforme autorizado pela lei municipal, número 8.,598/2014". Uma lei votada para este fim :


Como cidadão campista, deixo uma única pergunta a ser respondida pelo secretário de Fazenda e pelo interlocutor da prefeita: qual é a perda real do Município com esta transação?

FUNCIONÁRIOS MUNICIPAIS RECLAMAM DE CARTÃO BLOQUEADO

(Pelo whatsApp)

Precisamos de S O C O R R O. Nós os funcionários da Prefeitura estamos com nosso Riocard bloqueado .Já vim 2 vezes para recadastrar e nada.O descaso conosco é geral.Como ficarmos ausentando-se do serviço para chegarmos  aqui no local de recadastramento e todas as vezes nos mandam retornar...  Alguém para nos socorrer P O R   F A V O R

quarta-feira, novembro 26, 2014

PROFESSORES MUNICIPAIS RECLAMAM DE PAGAMENTO SEM PROGRESSÃO HORIZONTAL

(Por e-mail)

Professores não recebem as letrinhas da progressão horizontal anunciadas por Fabio Ribeiro

Alguns professores da rede municipal de Campos são surpreendidos com o não pagamento da progressão horizontal “letrinhas” após o primeiro o dia de pagamento hoje dia 26/11.  Ao contrário do que foi divulgado na imprensa local no dia anterior, o Secretário Municipal de Administração Fabio Ribeiro que atribui um dos itens que contribuíram para o aumento da folha de pagamento “as letrinhas”, não foram pagas para alguns servidores da educação.

“Segundo o que foi publicado na imprensa local no Jornal Ururau pela internet do dia 25,” Fábio Ribeiro explica que o crescimento vegetativo da folha de pagamento se deve à convocação dos aprovados no concurso público, realizado em 2012, para o preenchimento de vagas para funções de níveis médio e superior, e benefícios como enquadramento do Plano de Cargos e Salários dos profissionais da Educação, além do pagamento da promoção horizontal (letrinhas); 10% de regência para os profissionais que atuam em sala de aula e 100% do Regime Especial de Trabalho (RET), além de outras gratificações e isonomia entre os auxiliares de segurança que atuam no serviço de trânsito.”

Os servidores alegam que fizeram o processo administrativo na SMEC desde maio de 2014 e foram informados que os pagamentos das “letrinhas” seriam feitos na folha de pagamento de novembro o que não ocorreu logo no primeiro dia de pagamento. Só hoje de manhã cerca de 20 professores tentaram cobrar explicações do Secretário da Administração Fabio Ribeiro, porem sem êxito.

Há rumores que o pagamento das “letrinhas” só será pago no mês de dezembro ou janeiro de 2015. Ainda dizem que o não pagamento é devido à falta de “dinheiro” que assombra os cofres do município que tem a folha de pagamento para este mês a bacatela de R$ 69.084.202,11.

Aproveitando o ensejo, o pagamento do FUNDEB é outra questão tratada com obscuridade pela Administração Municipal. Para os amigos professores e leitores que não se esqueçam dessa matéria, O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb foi criado pela Emenda Constitucional nº 53/2006 e regulamentado pela Lei nº 11.494/2007 e pelo Decreto nº 6.253/2007, em substituição ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério - Fundef, que vigorou de 1998 a 2006.

É um fundo especial, de natureza contábil e de âmbito estadual (um fundo por estado e Distrito Federal, num total de vinte e sete fundos), formado, na quase totalidade, por recursos provenientes dos impostos e transferências dos estados, Distrito Federal e municípios, vinculados à educação por força do disposto no art. 212 da Constituição Federal. Além desses recursos, ainda compõe o Fundeb, a título de complementação, uma parcela de recursos federais, sempre que, no âmbito de cada Estado, seu valor por aluno não alcançar o mínimo definido nacionalmente. Independentemente da origem, todo o recurso gerado é redistribuído para aplicação exclusiva na educação básica.
Com vigência estabelecida para o período 2007-2020, sua implantação começou em 1º de janeiro de 2007, sendo plenamente concluída em 2009, quando o total de alunos matriculados na rede pública foi considerado na distribuição dos recursos e o percentual de contribuição dos estados, Distrito Federal e municípios para a formação do Fundo atingiu o patamar de 20%.
O aporte de recursos do governo federal ao Fundeb, de R$ 2 bilhões em 2007, aumentou para R$ 3,2 bilhões em 2008, R$ 5,1 bilhões em 2009 e, a partir de 2010, passou a ser no valor correspondente a 10% da contribuição total dos estados e municípios de todo o país.
A Emenda Constitucional nº 53, de 19/12/2006, que criou o Fundeb, estabeleceu o prazo de 14 anos, a partir de sua promulgação, para sua vigência. Assim, esse prazo será completado no final de 2020.
No entanto, os profissionais da educação em Campos dos Goytacazes não recebem pelo fundo desde a sua vigência, porém nos contracheques dos mesmos vem apenas à informação em seu topo a respeito do direito ao FUNDEB, mas não há informações de valores discriminado em contracheque, ou seja, não consta o repasse do mesmo.

Até agora são 8 anos desde a promulgação da Lei do FUNDEB sem que haja o repasse aos mais de 13 mil profissionais da educação. Um dinheiro quem sabe que poderia salvar as finanças do Município em tempo de crise anunciada não é Prefeita? Mas é brincadeirinha... São direitos constitucionais garantido aos profissionais de educação. O pior que o caso FUNDEB acaba passando despercebido pelo TCE que aprova as contas, sem se dar conta da prestação do fundo, ou será que por lá a informação é diferente da realidade?

Agora vem a pergunta que não quer calar... Senhora Prefeita, no seu mundo cor de rosa as letrinhas também ficarão esquecidas igual ao fundeb?

Aos colegas de profissao deixo esse momento de reflexão e a sugestão para que seja constituída uma CPI do FUNDEB para que nossos legisladores demonstram para o povo o significado dos Princípios da Administração Pública que é Legalidade, Impessoalidade, Moralidade. Publicidade e  Eficiência Pois só sabem cobrar os nossos deveres, mas os nossos direitos ficam arquivadas na burocracia dos nossos líderes.

DEPUTADOS VÃO AUMENTAR SALÁRIOS DE 27 PARA 34 MIL

O Globo:

BRASÍLIA — A Mesa Diretora da Câmara começou a discutir em reunião nesta quarta-feira a proposta de aumento salarial de deputados e senadores. Segundo o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), a ideia é garantir pelo menos a correção inflacionária dos subsídios parlamentares, sem reajuste há quatro anos. Segundo cálculos de técnicos da Casa, a correção deverá elevar os salários de R$ 26,7 mil para R$ 33,7 mil. Mas como há projeto tramitando na Casa e que eleva para 35, 9 mil, há deputados que defendem que o mesmo valor seja garantido aos parlamentares. A proposta também elevará o salário da presidente da República, Dilma Rousseff e dos ministros de estado.

O Globo.



AUDITORIA DA PREFEITURA: EVIDÊNCIAS E APARÊNCIAS

O leitor, simpatizante do governo municipal, me pede imparcialidade no tratamento da informação sobre o rombo confessado, de 109 milhões de reais, da administração, auditado por ordem da prefeita.

Respondo-lhe que não sou imparcial. Ninguém o é. A imparcialidade é um mito forjado pela mídia americana.

Mas, isso não quer dizer, que não devamos nos render aos fatos. Mesmo à contragosto.

No caso em questão, salta aos olhos, que esta auditoria caiu do céu. Parece até que estava guardada para a ocasião. Além de identificar um rombo de mais de 100 milhões na bolsa da Viúva, o documento atribui total responsabilidade às administrações passadas - Arnaldo, Mocaiber e Campista - e unje a prefeita de plantão com o sagrado óleo da probidade.

E isso, justamente, quando sua excelência sucumbe no meio de uma tormenta de dívidas à pagar, sob a desconfiança, no mínimo, generalizada, de ter falido a máquina pública, movida pelo quinto maior orçamento municipal do país.

O vereador Marcão fez o seu dever de ofício, mas a novela mexicana está longe de seu capítulo derradeiro. Dois outros levantamentos apontam para números estrotosféricos do descontrole fiscal da prefeitura de Campos, que se confirmados, levarão alguns gestores às franjas do Tribunal de Justiça. Isso sem falar das evidências e aparências. O governo municipal deve a Deus e à todo mundo.

Curioso, que esta auditoria que chegou até o governo de Campista para levantar débitos, não faz referência aos 100 milhões de reais deixados em caixa  para a prefeita de plantão, pelo execrado governo Mocaiber, em 2008. Esta descoberta, que a madame não tem como negar, foi divulgada por documento oficial do TCE.

Por isso, disse que a Nota editada pela prefeitura e divulgada, é uma peça literária deprimente, oca, que diz nada a ninguém.

AÇÃO DO PT CONTRA PEZÃO SERÁ JULGADA HOJE PELO TRE

Ação do PT contra o Governador Luiz Fernando Pezão,  sob acusação de uso da máquina, entra na pauta de julgamento da sessão de hoje, 26, às 18h, do TRE.

Matéria do Blog do Ricardo André, aqui: