quarta-feira, outubro 22, 2014

MORRE CIBILIS VIANA

(Informação de Humberto Moreira Rangel)


Faleceu ontem, 21, Cibilis Viana, aos 94 anos de falência múltipla dos órgãos.

O enterro foi hoje, às 17 horas, no Memorial do Carmo, onde o corpo será cremado.

Cibilis foi assessor de Brizola no Rio Grande do Sul, fundador do PDT, Secretário de Governo, Presidente do Banerj e principalmente, homem de confiança do ex governador Leonel Brizola. Deixa três filhos

NOTA OFICIAL DO DEPUTADO GERALDO PUDIM



Com relação as notícias acerca da possibilidade de assumir um novo mandato na Alerj cabe esclarecer:

Sagrei-me 1º suplente pela coligação PR/PROS nas eleições de 05 de outubro com total de 25.881 votos.

É com grande expectativa que todos os partidos, inclusive o PR, aguardam o julgamento de recursos de candidatos que, por motivo ou outro, não tiveram seus votos incluídos na primeira totalização apresentada pela Justiça Eleitoral.

O Partido da República também aguarda com justificável ansiedade o resultado dos julgamentos dos recursos de diversos candidatos de nossa sigla que atualmente somam 37.663 votos(não computados).

Em nosso Estado o total de votos que aguardam para serem computados ou não é de 304.141 entre todos os partidos que tiveram candidatos que disputaram uma vaga a deputado estadual.

Até agora o Partido da República conseguiu que fossem recuperados(ainda não computados) 5517 votos, resultado que certamente altera a composição de uma das 70 cadeiras da Assembleia Legislativa.

Não fomos comunicados, em absoluto, pela Justiça Eleitoral sobre qualquer movimentação que venha alterar nosso quadro em relação ao resultado das eleições. Assim como todos vocês acompanhamos de perto o julgamento de todos os recursos.

Para além disso todo resto ainda se encontra no campo da especulação, sob o qual não nos balizamos para qualquer tomada de decisão.

No mais continuarei exercendo minhas funções de deputado estadual até o dia 01 de fevereiro, honrando os votos que recebi do povo nesta e nas últimas eleições.

Até a vitória sempre!

Deputado Estadual
Geraldo Pudim

PEDOFILIA E DROGAS

O sigiloso, mas nem tanto, inquérito que apura crime de pedofilia, em Campos, e pelo qual, 6 pessoas encontram-se detidas, 3  das quais, no complexo penitenciário de Bangu, no Rio de Janeiro, na verdade, foi desmembrado em duas peças: uma cuida do que seria uma rede de pedofilia e outro, apura crime de uso e tráfico de drogas.

No segundo inquérito, tambem em segredo de Justiça, alguns nomes prestaram depoimentos, mas não há ninguém detido.

PUDIM DEVE ASSUMIR VAGA NA ALERJ

Ainda é extra-oficial, mas o deputado estadual Geraldo Pudim, PR, já foi comunicado por fonte insuspeita que assumirá sua vaga na Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, em janeiro de 2015.
Sorte e sucesso, camarada velho!

AGENDA DE PEZÃO NESTA QUARTA FEIRA, 22

(ascom)

13h30    Caminhada no Comércio de Manilha
Ponto de encontro: Av. Prefeito Milton Rodrigues Rocha esquina com Rua Arthur Solto (largo em frente ao SJ Supermercados) Centro de Manilha
                 
CANCELADA a Carreata no Centro de Itaboraí

terça-feira, outubro 21, 2014

PEZÃO, EM CAMPOS, NA PRÓXIMA SEXTA FEIRA, 24

Do mural de Moisés Batista, no facebook:


SECRETARIA DE SAUDE DE CAMPOS

Do mural de Beatriz Piedade, no facebook:

Hoje estive na secretaria de saúde de Campos e pude constatar que como ja relatado aqui por mim e por outros amigos o Centro de saúde está tao abandonado quanto os hospitais HGG e Ferreira Machado, estruturalmente no setor de vacinas de crianças muito mofo de infiltração nas paredes e tetos, podendo até causar doenças infecto-respiratórias nas crianças como nos adultos, fiquei também muito triste quando estive no setor de farmácia e ver que as pessoas chegavam e saíam sem conseguir remédios básicos por falta dos mesmos na rede municipal, permaneci 30min na farmácia e vi mais ou nenos 25 pessoas chegarem e sairem revoltados,desolados por não ter os remédios. Aproveitei até para orientar a população que ali adentrava para ir a defensoria que eles mandavam uma liminar pelo oficial de justiça e os remédios eram comprados, orientei mesmo com os funcionários querendo me fuzilar com os olhos... Acorda Campos dos Goytacazes! ‪#‎PoxaPrefeita‬!‪#‎Lupanacoisapública‬!



SERVIDORES DE OLHO NA PREVICAMPOS

Primeiro, a exoneração do diretor financeiro da PreviCampos, no dia 3 último e ontem, 20, a exoneração do presidente do Fundo de Pensão dos Servidores Municipais, Benilson Paravidino. Ambos divergiram do governo que quer investir o equivalente a 50 milhões de reais em ações da Atico e Energia e na compra de debêntures.

Para o lugar de Benilson foi indicada a subsecretária de Obras, durante até aqui, segunda na hierarquia da secretria de Obras, cujo titularr é Edilson Peixoto, que acumula função de presidente do Conselho Fiscal da PreviCampos.

WANDERLEI PRA VOCÊ O SAMBA TIRA O CHAPEU

Página de O Diario:

A voz do samba

Publicado em 19/10/2014


Antônio Leudo
Clique na foto para ampliá-la
Wanderley é responsável pelo famoso cafezinho da Secom e nem todo mundo sabe que ele é uma lenda viva do carnaval campista

Da Redação

O carnaval campista é formado por diversos colaboradores, que contribuem para fazer da festa popular o sucesso que é. Um destes colaboradores, uma verdadeira memória viva do carnaval campista, é o Seu Wanderlei, que aos 20 anos ingressou na Escola de Samba Mocidade Louca, do Morrinho. Azul, Vermelho e Branco de coração, foi levado por um amigo para a escola de samba e passou a integrar a agremiação como componente, frequentando os ensaios.

Em 1985, da quadrilha caipira Laços de Alegria, do bairro Parque Rosário, fundou o Bloco de Samba União Feliz, junto da filha Dilcinéia e suas colegas, Elisângela e Franciele, filhas de Maria Soraia, atual presidente do bloco; e de outros carnavalescos como Osvaldo Pé de Ferro, pai do ex-jogador Odvan; e Grácio Abreu, entre outros.

Ele se lembra com saudade dos carnavais antigos e cita algumas agremiações que foram extintas: o bloco da antiga CELF (Central Elétrica Fluminense); Quem não viu vem vê, bloco do clube de futebol Goytacaz; Bloco Os Vagalumes, do Capão; escola de samba Sorriso do Norte, do Jardim Carioca; Chuva de Prata; Império do Samba, da Coroa; Unidos da Coroa, da Baleeira; Deixa que eu chuto e Os Corujas, ambos da Lapa.

Saudosismo com otimismo - Wanderlei comenta também sobre os chamados cordões, que existiam antes. -Nos cordões, as pessoas saíam fantasiadas de índio, apitando e segurando um estandarte- observa. Alguns destes cordões eram o Estrela de Ouro, comandado por Arraia; Triunfo das Cores, de Moacir; e Terror do Norte, de Benedito Paga Luz. -A concentração do carnaval era na Praça São Salvador, onde atualmente fica o Museu. Os desfiles saíam dos interiores e concentravam na praça. Tinham muitos blocos, várias escolas. Sinto saudades, mas vivo o presente. Hoje, por exemplo, temos a Madureira do Turf, uma escola de tradição que reviveu e ficou - comenta Wanderlei.

Ele também cita o Cepop como uma grande obra, que veio para a evolução do carnaval de Campos. -O Cepop é palco para vários eventos. O que me deixa satisfeito e prova a evolução que tivemos no nosso carnaval - elogia.

Breve Biografia - Wanderlei Inácio de Assis Almeida, de 72 anos, nasceu num carnaval de 1942, no dia 3 de fevereiro. Estava "condenado" a ser um folião. Natural de Trajano de Moraes, no Noroeste Fluminense; e criado em Conceição de Macabu, norte do estado; Wanderlei saiu de casa aos 16 anos e veio para Campos morar na casa de amigos.

Trabalhou como lavador de carro em posto de gasolina e auxiliar de serviços gerais em casa de família e no rádio, a partir de 1964 e de onde ascendeu para operador de externa. Do rádio, por intermédio do jornalista Fernando Leite, em 1986 foi trabalhar na Prefeitura de Campos como operador de som em inaugurações. Atualmente, ele dá suporte na Secretaria de Comunicação Social e é responsável pelo famoso cafezinho do órgão do poder público municipal.

O DESLEIXO PÚBLICO COM A ARTHUR BERNARDES

(por e-mail))

Há cerca de um mês, foi inaugurado o terceiro trecho da Avenida Arthur Bernardes, possibilitando novo vetor de desenvolvimento para a cidade de Campos. Na ocasião, fizemos algumas considerações em relação aos setenta anos de sua idealização, precisamente no Plano Urbanístico de 1944, que pode ser visto aqui: http://blogfernandoleite.blogspot.com.br/2014/09/avenida-arthur-bernardes-70-anos.html

Nesta oportunidade, entretanto, vimos destacar alguns problemas que podem comprometer o uso da Avenida Arthur Bernardes, após os setenta anos de seu planejamento, onde as possibilidades para melhoria da mobilidade urbana, correm o risco de não serem confirmadas pela tendência de o cenário ser assemelhado ao da Avenida 28 de Março, que apresenta colapso viário, elevados índices de acidentes e graves conflitos entre os modais viários, configurado sobretudo pela permanência das indesejáveis carroças movidas por animais, gerando riscos e comprometendo a fluidez do tráfego.

No caso da Avenida Arthur Bernardes, executada em trechos ao longo de setenta anos, nos vazios urbanos as ocupações apresentam, também, possibilidades de serem intensas, seja pelo uso, comercial especialmente, ou pelo potencial construtivo já com exemplos de verticalização, no trecho recém inaugurado, conforme fotos anexo. Porém, a questão principal é relativo as áreas públicas dos recuos frontais a partir do alinhamento dos meios-fios e calçadas, estas que segundo a Lei 7975/2008 (Parcelamento), por ser via arterial a dimensão deve ser de 6,00m (seis metros). Em nenhum trecho da Avenida Arthur Bernardes as calçadas possuem 6,00m, na maioria possuem tímidos 2,50m (dois metros e cinquenta centímetros) sem recuo frontal dos imóveis, que certamente comprometerá a segurança e a mobilidade dos pedestres pela intensidade do uso, correndo sérios riscos devido a falta de ordenamento, com tendências de apresentar trechos restritos como alguns da Avenida 28 de Março, ainda sem nenhuma qualidade ambiental.

Outros aspectos relativos as características deste vetor de desenvolvimento urbano, diz respeito ao excessivo número de sinais luminosos, retendo a circulação em um corredor arterial, chegando ao absurdo de haver um implantado na rotatória em frente a UENF. Para entendermos isso, é necessário explicar o que são as rotatórias. Estas, oriundas do movimento urbanístico europeu denominado "traffic-calming", em fins da Década de 1960, foram criadas para dar fluidez e segurança ao fluxo viário permitindo que nos cruzamentos em nível os veículos continuem a circular sem que haja retenção, em velocidade reduzida, priorizando quem encontra-se em seu interior. Mas na rotatória frontal ao acesso à UENF, os veículos estão sendo retidos (ver foto) em perigosa situação, pois, ao longo do dia partes destes ficam vulneráveis a acidentes por terem a sua traseira no leito de circulação da Avenida Alberto Lamego, que também é arterial de grande intensidade de fluxo.

Como se não bastassem as desconformidades urbanísticas, os motoristas, muitos deles migrados da Avenida 28 de Março, estão expostos a acidentes por colisão com animais, como os cavalos que andam soltos durante grande parte do dia, conforme foto. Fazemos o apelo para que o IMTT e a Guarda Civil Municipal intensifiquem a vigilância e instruam os motoristas no uso deste logradouro que possui características particulares devido aos riscos e ajustes necessários conforme os problemas citados, para que haja pleno uso deste necessário corredor viário importante para a mobilidade urbana, onde, espera-se haja planos de uso do transporte coletivo com corredores exclusivos, rápidos e seguros distantes do "modelo indiano" da Avenida 28 de Março.

Outro apelo, se refere as vias de retorno. Que seja pensado a implantação conforme no primeiro trecho da Avenida Arthur Bernardes e em outros logradouros, como por exemplo: Avenida Felipe Uebe, Avenida Alberto Lamego, Avenida 28 de Março e Avenida Nilo Peçanha, desta forma, havendo possibilidades de interligação com outros eixos viários, como as ruas Saldanha Marinho e Dr. Raul Abbot Escobar (prolongamento da Rua Tenente Coronel Cardoso). A Avenida Arthur Bernardes, não é um túnel!

Após os setenta anos, não queremos lamentar que este importante arco perimetral não cumpre a sua vocação alternativa para os graves congestionamentos, hoje habituais em Campos. Desejamos que este setor de expansão seja confirmado como um novo paradigma de desenvolvimento urbano.

Abç.,

Renato César Arêas Siqueira
arquiteto e urbanista
perito técnico
professor bolsista UENF