domingo, janeiro 21, 2018

POSSE DE CRISTIANE BRASIL, DE NOVO, SOB AMEAÇA DE SUSPENSÃO

G1 Brasília

Advogados recorrem ao STF contra decisão que permitiu posse de Cristiane Brasil



Um grupo de advogados ingressou no Supremo Tribunal Federal (STF) com um recurso contra decisão que permitiu a posse da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) no Ministério do Trabalho. A posse está prevista para as 9h desta segunda-feira (22), no Palácio do Planalto. Os advogados, porém, tentam impedir a cerimônia.

Inicialmente, o sistema eletrônico do tribunal, por sorteio, definiu que o relator do caso seria o ministro Gilmar Mendes. Depois, a Secretaria Judiciária do Supremo informou, em um ofício incluído neste domingo (21) na tramitação do processo, que o caso deveria ter ido diretamente para a presidente do STF, Cármen Lúcia, sem a realização de sorteio. Com isso, a Secretaria voltou atrás no sorteio, e a ministra será responsável por analisar o recurso.

De acordo com a Secretaria Judiciária, o motivo para Cármen ser a relatora do caso é que o tipo de reclamação apresentada pelos advogados deve ser analisado pelo presidente da Corte.

O grupo de advogados que moveu a ação no Supremo é o mesmo que conseguiu suspender a posse da deputada na Justiça Federal, alegando que a nomeação contraria o princípio da moralidade, determinado pela Constituição, por causa de condenações que ela sofreu na Justiça Trabalhista.

Depois de seguidas derrotas no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), o governo conseguiu reverter neste sábado (20) a suspensão da posse no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Ao deferir o pedido do governo e autorizar a posse, o ministro Humberto Martins, vice-presidente do STJ, entendeu que condenações em processos trabalhistas não impedem a deputada de assumir o cargo. Ele destacou que não há nenhuma previsão na lei com essa determinação.

"Ocorre que em nosso ordenamento jurídico inexiste norma que vede a nomeação de qualquer cidadão para exercer o cargo de ministro do Trabalho em razão de ter sofrido condenação trabalhista. O fumus boni iuris acerca da questão é evidente", afirmou o ministro na decisão.


Para os advogados, o ministro não poderia ter autorizado a posse pois, segundo ele, não detém competência para tanto. O grupo voltou a apontar "imoralidade" na nomeação de Cristiane Brasil, e questionou os argumentos utilizados pelo ministro do STJ para autorizar a posse.

"Em momento algum os autores pregaram que uma condenação trabalhista, por si só, seja causa direta de impedimento indiscriminado para o exercício de cargos públicos em geral. O que se sustenta, na verdade, é que a avaliação do critério moral não é estática. [...] Efetivamente, choca a sociedade ter uma ministra do Trabalho com condenações trabalhistas, assim como chocaria um presidente de Departamento de Trânsito que acumula infrações ou um presidente de Banco estatal com restrições no Serasa", diz o grupo no recurso.

PAPA DIZ QUE FREIRAS FOFOQUEIRAS SÃO PIORES QUE "TERRORISTAS" DO SENDERO LUMINOSO

G1/REUTERS


Papa Francisco cumprimenta freiras ao chegar ao Santuário
do Senhor dos Milares em Lima, neste domingo (21)
(Foto: Vincenzo Pinto/AFP)

O papa Francisco comparou freiras que espalham fofocas a "terroristas" neste domingo (21), assegurando que a prática é "pior que a de Ayacucho anos atrás", em referência aos anos de atividade do grupo guerrilheiro Sendero Luminoso no Peru.

No último de seus quatros dias de visita ao país andino, o pontífice se reuniu com quinhentas freiras contemplativas no Santuário das Nazarenas, no centro de Lima, antes de partir para a Catedral para rezar perante as relíquias dos santos peruanos e encerrar a viagem com uma missa a uma multidão.

Em um encontro descontraído, no qual o religioso argentino não teve dúvidas ao intercalar piadas em meio a seu discurso sobre a unidade da igreja e a vocação das freiras para a oração, o papa afirmou que as fofocas devem ser evitadas no convento, pois são inspiradas pelo demônio.

"Sabem o que é uma freira fofoqueira? Terrorista. Pior que Ayacucho anos atrás. Porque a fofoca é como uma bomba (...), como o demônio. Atira a bomba, destrói tudo e vai embora tranquila. Freiras terroristas, não. Sem fofocas", afirmou.
"Já sabem que o melhor remédio para não fofocar é morder a língua. A enfermeira vai ter trabalho, porque a língua de vocês vai inflamar, porém não vão atirar a bomba. E lembrem-se dos terroristas de Ayacucho quando quiserem fazer uma fofoca", disse, em meio ao riso das pessoas presentes.

Ayacucho foi o berço da luta do grupo maoísta do Sendero Luminoso contra as forças de segurança do Peru, que deixou ao menos 69 mil mortos e desaparecidos durante uma guerra que durou duas décadas no fim do século passado, segundo dados oficiais.

NAHIM: "JÁ ATÉ PEDI PERDÃO AO GAROTINHO, MAS ELE NÃO ME ATENDEU"

O suplente de deputado federal, Nelson Nahim, deve assumir uma vaga na Câmara Federal, nesta semana, com a saída da deputada Cristiane Brasil para a vaga de titular da pasta do Trabalho. Em entrevista ao jornalista, Ocinei Trindade, do Terceira Via e ao vereador Cláudio Andrade, Nahim rasga o verbo. Leia:



Nahim em gestos e palavras

Entrevistado pela 3ª VIA TV, o político fala de sua condenação por abuso de menores, injustiça e a briga com o irmão Garotinho

GERAL 
POR OCINEI TRINDADE
 
21 DE JANEIRO DE 2018 - 0h47
(Foto: Silvana Rust)
Condenação, prisão, pedofilia, defesa, Garotinho, família, política, futuro… Desde que teve seu nwome envolvido no caso “Meninas de Guarus”, em 2009, a vida pessoal e política de Nelson Nahim nunca mais foi a mesma. O ex-presidente da Câmara de Vereadores e também ex-prefeito de Campos dos Goytacazes, atualmente é suplente de deputado federal e deve ocupar uma cadeira na Câmara agora que o Supremo Tribunal Federal (STF) emitiu a liminar neste sábado (20) permitindo que a deputada Cristiane Brasil assuma o Ministério do Trabalho do governo Temer.
Nahim foi condenado a 12 anos de prisão por estupro de vulnerável, coação no curso do processo e exploração sexual de adolescentes. Nahim discorda da sentença e se diz inocente. Em entrevista a Cláudio Andrade no programa A Polêmica da Terceira Via TV, Nahim soltou o verbo.
Esperando
No início do ano, o nome de Nelson Nahim (PMDB-RJ) voltou a se destacar na mídia devido à nomeação da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o Ministério do Trabalho. Nahim é o segundo suplente da congressista que ainda não conseguiu tomar posse como ministra por impedimento na justiça. Ela foi condenada em ações trabalhistas e tenta tomar posse por meio de recursos judiciais. “É um absurdo que ela não tenha tomado posse. Qualquer empresário do país pode sofrer ação trabalhista e ela já se acertou com a justiça. Não há nada de imoral, nem ilegal ela ser ministra indicada pelo presidente da República”, opina Nahim.
(Foto: Silvana Rust)
A provável convocação de Nelson Nahim para assumir o mandato de deputado federal tem repercutido na imprensa e nas redes sociais. Muitos internautas têm se manifestado até com campanhas de abaixo-assinado contra sua posse, por ele ter sido condenado pela justiça pela acusação de crimes relacionados à pedofilia.
“Este processo é um absurdo, assim como foi minha condenação. Como posso ser acusado de estupro sem ter provas de quem se diz estuprado? Quem leu os autos do processo sabe que não tem cabimento essa acusação do MPE. Não concordo com a condenação da juíza Daniela Assunção, e estou recorrendo da sentença. Vou provar que sou inocente e processar o Estado pelos danos morais e materiais causados a mim e à minha família ”, revela Nelson Nahim que chegou a ficar preso no Complexo de Bangu, na capital, por cinco meses, mas que ganhou liberdade graças a um habeas corpus.
Condenado
Ao todo, a Justiça condenou 14 pessoas acusadas de envolvimento com menores de idade à época. No programa de televisão A Polêmica, o apresentador Claudio Andrade quis saber como Nahim teve seu nome envolvido no processo que apontou a participação dele, e também de empresários e políticos no caso “Meninas de Guarus”. Segundo o ex-presidente da Câmara de Vereadores e ex-prefeito de Campos, alguém se passava por ele.
“Uma testemunha que mudou a versão várias vezes caiu em contradições. Ela disse que alguém telefonava se dizendo Nelson Nahim, e pedia para sair com uma garota.
(Foto: Silvana Rust)
No entanto, eu não fui reconhecido por ela, porque nunca estive com ela pessoalmente antes. Nunca fiz programas do tipo, nem levei menores de idade para meu sítio para praticar sexo, fui acusado até de querer abrir bordel em Macaé e em Campos, e nada disso é verdade. Eu já fui confundido fisicamente com meu irmão e com outras pessoas. Até recebi cobrança de um mecânico, pois um homem desconhecido se passou por mim. O que afirmo é que sou inocente, e que essa acusação tratou-se de uma perseguição política orquestrada”, afirma.
Quando questionado sobre quem poderia querer prejudicá-lo politicamente, Nelson Nahim pondera em citar nomes diretamente. Ele afirma não ter provas de quem poderia querer atingí-lo, mas suspeita de quem quisesse fazê-lo. Nahim não esconde a mágoa que sente do irmão, o ex-governador Anthony Garotinho, de quem se afastou há seis anos por problemas de relacionamento e por troca de acusações envolvendo interesses e disputas eleitorais.
Nahim, quando presidente da Câmara, substituiu Rosinha Garotinho na Prefeitura de Campos em 2010 durante seis meses, período em que ela teve o mandato cassado pelo TRE por abuso de poder econômico na eleição de 2008. Naquele período, houve possibilidade de se convocar novas eleições, e Nahim pretendia disputar o pleito, mas Garotinho foi contra, afirmou.
“As pesquisas indicavam que eu fui bem avaliado como prefeito durante os seis meses que estive no cargo. Eu estava no auge da minha carreira política. Quem me fez essa acusação de estupro, fez por maldade e com a finalidade de me prejudicar. Houve um orquestramento político, não duvido, mas não tenho provas. Quando fui preso a primeira vez, fui levado sem saber o motivo da prisão. Não tenho provas, mas desconfio de algumas “coincidências” que aconteceram.
Garotinho
Nelson Nahim relembrou de uma reunião no dia 13 de dezembro de 2010, quatro dias antes de sua primeira prisão. “Estavam lá, entre outros, Garotinho, Roberto Henriques e Geraldo Pudim que tinham sido eleitos para a Alerj. Eu queria ser candidato a prefeito, mas Garotinho disse que eu não seria, pois eu estava bem nas pesquisas, e eu poderia prejudicar Rosinha e a ele durante o julgamento da cassação do mandato dela. Queria que eu fizesse manifestação em frente ao fórum contra o afastamento dela. Brigamos duramente. Não posso afirmar que ele agiu diretamente contra mim, mas alguém próximo dele eu suspeito”.
De acordo com a fala de Nelson Nahim, Anthony Garotinho se afastou de vários membros da família. “Nossa mãe está viva e lúcida, e evitamos tocar nesse assunto com ela. Não estou aqui para crucificar Garotinho, mas ele arruma confusão com todo mundo que discorda dele. Pensa em política 24 horas por dia, e tem que ser tudo do jeito dele.
Eu tenho provas que Rosinha não queria se candidatar à reeleição para prefeitura. Ela queria que eu fosse o candidato, mas ele foi contra. Ao longo da vida, Garotinho me prejudicou em vários momentos. Ele não queria Rogério Mattoso na presidência da Câmara, por exemplo, e queria que eu trabalhasse contra Rogério, o que eu discordei. Garotinho nos pede para fazer coisas absurdas. A mídia costuma perseguir Garotinho, sim, eu concordo. Ele briga com todo mundo. E o que é negativo sobre ele respinga em mim. Quando querem me atacar, me chamam de o irmão de Garotinho”, reclama.
Brigas
Se brigas familiares afetam a política ou se a política afeta as relações familiares, os membros da família Matheus de Oliveira têm sobrevivido sob a vigilância e comentários de eleitores, principalmente em tempos de redes sociais digitais “A política em nosso país é muito suja e as redes sociais podem ajudar a destruir uma pessoa”, afirma Nahim. Também não faltam críticas ao judiciário e ao sistema prisional que conheceu de perto durante os cinco meses que esteve no cárcere, em Bangu:
“Eu me sinto injustiçado. Me chamam de estuprador nas redes sociais. Isso me fere e à minha família, pois não é verdade sobre o que me acusam. Conheci na prisão diversas pessoas presas injustamente em primeira instância. Ninguém é perfeito, mas um juiz também pode errar. Ainda bem que há recursos em instâncias superiores. A prisão brasileira no geral é muito ruim. Eu, por ter curso superior (Nahim, é formado em Direito), ainda fiquei em situação melhor, não tive problemas na prisão, a não ser com a comida que é horrível. Perdi 18 quilos na prisão”, conta.
Além de peso, Nelson Nahim diz que perdeu patrimônio. Vendeu propriedades e se desfez de lojas que possuía para pagar advogados que cuidam de sua defesa nos tribunais. Disse que quando for comprovada sua inocência, entrará na Justiça contra o Estado pelos danos que têm enfrentado. Nahim confessa temer ser preso novamente. “Não descarto a possibilidades, pois neste país, coisas esdrúxulas acontecem a todo instante”, critica.
Diante de tantos fatos negativos envolvendo a família Garotinho e a família de Nelson Nahim, o que esperar do futuro político de ambas? Nahim só comenta sobre suas prioridades atuais que, segundo ele, não estão relacionadas à política. “Minha mulher enfrenta um câncer raro, e estamos eu e meus filhos unidos em torno do tratamento dela. Mesmo doente, ela me apoia, sempre esteve do meu lado. Sinto falta da rotina política.
Ainda não sei se irei me candidatar este ano. Vai depender de muitas coisas, inclusive do próximo julgamento sobre o meu caso. Não temo rejeição nas urnas, pois me considero legal e moralmente apto a concorrer”, revelou.
Política
Na política, dizem, não existem amizades, e sim, alianças. Porém, em se tratando de dois irmãos rivais na política, será possível uma reconciliação? Nelson Nahim diz que Anthony Garotinho sabe o irmão que tem, e que foi vítima de uma armação a respeito da acusação de estupro. “Não desejo mal a ele, não vibrei com sua prisão. Porém, Garotinho não admite o fato de eu ter apoiado a campanha de Luiz Fernando Pezão para governador, e este ter sido eleito. Garotinho não conseguiu chegar ao segundo turno. Isto deve estar atravessado na garganta dele. Eu costumo mandar mensagens de natal e de aniversário para ele, mas nunca recebi resposta. Já até pedi perdão, se algum mal eu cometi, mas ele não me responde”.
Se “o silêncio é uma grande sabedoria” como apregoa o ditado árabe, o sábio tempo haverá de responder a todos os citados nos fatos relatados. Inclusive Nelson Nahim.

sábado, janeiro 20, 2018

NA QUARTA QUE VEM, JULGAMENTO DE LULA

IstoÉ

JULGAMENTO LULA

Agora vai?
O TRF-4 deverá confirmar e até agravar no próximo dia 24 a pena imposta pelo juiz Sergio Moro a Lula, mas o petista dificilmente será preso. Enquanto isso, a sociedade discute a candidatura ou não de um réu condenado pela Justiça que não terá pago pelos seus crimes de corrupção

No auge da Lava Jato, à medida que as provas – testemunhais e materiais – se acumulavam, se consolidava no imaginário popular a insofismável certeza de que, mais dia menos dia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seria condenado a dormir atrás das grades – desta vez em tempos democráticos e por corrupção. Eis que se avizinha o tão acalentado momento inescapável da decisão. Na quarta-feira 24, o Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF-4) promoverá o julgamento do recurso de Lula à sentença do juiz Sergio Moro a nove anos e seis meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em função da fartura de elementos probatórios levantados em minucioso processo desenvolvido pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal. Lula é acusado de receber R$ 3,7 milhões da empreiteira OAS como contrapartida aos contratos superfaturados na Petrobras celebrados durante os governos do PT. Desse total, R$ 2,2 milhões foram embutidos no tríplex do Guarujá, construído e reformado pela OAS para atender às necessidades do ex-presidente e de sua mulher Marisa Letícia, falecida no ano passado. O processo reúne abundante e incontestável documentação e, em 70% das situações, os três desembargadores da 8ª Turma do TRF-4, João Pedro Gebran Neto, Leandro Paulsen e Victor Luis dos Santos Laus, revelaram-se mais rigorosos do que o próprio juiz Sergio Moro. Por isso, no meio político, e no próprio seio do PT, a condenação é considerada favas contadas, restando apenas conhecer o placar, se 2×1, em que o voto divergente ensejaria uma eventual contestação do mérito da sentença, ou 3×0, uma unanimidade quase impossível de ser revertida por recurso.

Leia matéria completa:

IstoÉ

NAHIM FALA AO TERCEIRA VIA E ABRE O JOGO

Terceira Via



Nelson Nahim abre o verbo no programa A Polêmica da 3ª VIA TV

Além da entrevista a Claudio Andrade, ele também falou ao jornal Terceira Via com exclusividade

POLÍTICA 
POR REDAÇÃO
 
20 DE JANEIRO DE 2018 - 18h51
Em entrevista ao apresentador Cláudio Andrade no programa A Polêmica da 3ª VIA TV, Nelson Nahim (PMDB-RJ) soltou o verbo. O ex-presidente da Câmara de Vereadores e ex-prefeito de Campos dos Goytacazes, é atualmente suplente de deputado federal. Ele também falou ao jornal Terceira Via. A reportagem especial estará nas bancas neste domingo (21).  Desde que teve seu nome envolvido no caso “Meninas de Guarus”, em 2009, a vida pessoal e política de Nahim nunca mais foi a mesma.
Condenado a 12 anos de prisão por estupro de vulnerável, coação no curso do processo e exploração sexual de adolescentes, Nelson Nahim discorda da sentença. Ele reafirma que a acusação é falsa, e que provará sua inocência.  No início do ano, o nome de Nahim  voltou a se destacar na mídia devido à nomeação da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o Ministério do Trabalho que ainda não conseguiu tomar posse por decisão da justiça. A provável convocação de Nelson Nahim para assumir o mandato tem repercutido mal nas redes sociais.
“Este processo é um absurdo, assim como foi minha  condenação”, disse Nahim que chegou a ficar preso durante cinco meses no Complexo de Bangu, no Rio de Janeiro. Ele ganhou liberdade graças a um habeas corpus, e recorre da sentença. Na entrevista, Nelson Nahim fala sobre pedofilia, condenação, o tempo que passou na prisão, a defesa, as brigas com o irmão Anthony Garotinho, os projetos políticos, a relação com a família e o drama pessoal da esposa que sofre de um câncer raro. Tudo isto em A Polêmica, na 3ª VIA TV, e no jornal Terceira Via deste domingo.

STJ LIBERA POSSE DE CRISTIANE BRASIL NO MINISTÉRIO DO TRABALHO

Por Renan Ramalho, G1, Brasília


O vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, concedeu neste sábado (20) decisão liminar permitindo a posse da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) no Ministério do Trabalho.

Com a decisão, a posse da deputada está marcada para a próxima segunda-feira (22), mesmo dia em que o presidente Michel Temer embarcará para a Suíça, onde participará do Fórum Econômico Mundial.

A decisão atende a pedido da Advocacia Geral da União (AGU), que representa o governo junto à Justiça. Anteriormente, o órgão teve três pedidos semelhantes negados no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), de segunda instância.

No recurso ao STJ, a AGU contestou a tese de que a nomeação de Cristiane Brasil contraria o princípio da moralidade, determinado pela Constituição, por causa de condenações que ela sofreu na Justiça Trabalhista.

Para o órgão, a ação não descreve e nem demonstra qualquer dano concreto ao patrimônio público, condições para impedir uma nomeação por ofensa à moralidade. Além disso, argumentou que a suspensão da nomeação vem impedindo o regular funcionamento do ministério.

“A decisão em combate vem interferindo drasticamente no Poder Executivo Federal, provocando danos à gestão governamental, na medida em que coloca em risco o Ministério do Trabalho ao deixar a pasta sem comando, impedindo, via de consequência, a normal tramitação de importantes ações governamentais e sociais”, afirmou a AGU.

Ao deferir o recurso da AGU, o ministro entendeu que condenações em processos trabalhistas não impedem a deputada de assumir o cargo. Ele destacou que não há nenhuma previsão na lei com essa determinação.

"Ocorre que em nosso ordenamento jurídico inexiste norma que vede a nomeação de qualquer cidadão para exercer o cargo de ministro do Trabalho em razão de ter sofrido condenação trabalhista. O fumus boni iuris acerca da questão é evidente", afirmou o ministro na decisão.

Ele afirmou ainda que a indicação para os cargos de ministros de Estado são de competência do presidente da República e que não se pode impedir ninguém de assumir o posto sem embasamento jurídico-legal que justifique tal medida.


"Não é aceitável que decisões liminares suspendam atos de nomeação e de posse, sem clara comprovação de violação ao ordenamento jurídico", afirmou.

Reunião
Antes da decisão do STJ, o presidente Michel Temer se reuniu no Palácio da Alvorada com integrantes da área jurídica do governo, os ministros Torquato Jardim (Justiça) e Grace Mendonça (Advocacia-Geral da União) e o subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Gustavo Rocha.

A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto informou que o encontro foi para tratar de “assuntos de natureza jurídica”, mas não especificou quais.

Foi do Alvorada que Temer recebeu a notícia da liminar autorizando a posse de Cristiane Brasil.

sexta-feira, janeiro 19, 2018

PERÍCIA VÊ EDIÇÃO NA FITA DA SUPOSTA AGRESSÃO A GAROTINHO NA PRISÃO

Terceira Via

Peritos afirmam que imagens de suposta agressão à Garotinho foram editadas

A Seap sustentava que as imagens das câmeras de segurança não demonstram a suposta agressão

GERAL 
POR REDAÇÃO
 
19 DE JANEIRO DE 2018 - 14h59
(Foto: Reprodução TV Globo)
A Folha de São Paulo divulgou na tarde desta sexta-feira (19), que as imagens do circuito interno da cadeia pública José Frederico Marques, em que mostrava o momento da suposta agressão ao ex-governador Anthony Garotinho foram editadas.
Segundo a análise de peritos da Divisão de Evidências Digitais e Tecnologia (Dedit) do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), as imagens apresentadas pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) mostram várias fragilidades.
As imagens divulgadas pela Seap, mostram o corredor da galeria B vazio e sem nenhuma movimentação atípica. Já nas outras imagens, é possível ver que Garotinho bate palmas com o intuito de chamar a atenção dos agentes penitenciários.
Além desta diferença, peritos afiram que as imagens da Seap mostram interrupções atípicas, imagem congelada e evidência de interferência humana na captação dos vídeos.
Agressão
Garotinho alegou que, na madrugada do dia 24 de novembro, por volta de 01h30, um homem entrou em sua cela e lhe agrediu com uma paulada no joelho e um pisão no pé, que deixou hematomas, constatados no exame do Instituto Médico Legal (IML). De acordo com Garotinho, o homem que invadiu sua cela teria afirmado: “Você gosta muito de falar, não é?”.
A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) sustentava que as imagens das câmeras de segurança não demonstram a suposta agressão e, por isso, decidiu punir Garotinho por falsa comunicação de crime e o enviou para o Complexo Penitenciário de Bangu.
Retrato falado

No último dia 04, o ex-governador Anthony Garotinho esteve na Cidade da Polícia para concluir o retrato falado do homem que ele afirma que o agrediu na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio. A elaboração do retrato falado foi interrompida no fim de novembro, devido a um problema no sistema do computador.
“O retrato estava pronto, praticamente. Estávamos em Bangu e faltava apenas colocar o nariz quando o sistema deu pane, e estamos há mais de 30 dias querendo completar o nariz”, disse Garotinho, antes de ser encaminhado para a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) para finalizar o retrato.
Fonte: Jornal Folha de São Paulo

PREFEITURA DIVULGA CALENDÁRIO DE ´PAGAMENTOS DE 2018

Folha da Manhã


Prefeitura divulga calendário de pagamento dos servidores
 19/01/2018 15:25 - ATUALIZADO EM 19/01/2018 15:26
Prefeitura de Campos
Prefeitura de Campos / Folha da Manhã
A secretaria municipal de Gestão Pública divulgou, nesta sexta-feira (19), no Diário Oficial do município o calendário de pagamento dos servidores públicos municipais (ativos, inativos e pensionistas) com a previsão para o ano de 2018. Em janeiro, o pagamento será realizado no dia 31.
O calendário foi mantido com uma data única mensal para pagamento a todos os funcionários e inclui o 13º, que está previsto para 20 de dezembro. O pagamento será realizado no último dia útil de cada mês. (A.N.)
Confira o calendário:
Janeiro - 31/01/2018
Fevereiro - 28/02/2018
Março - 29/03/2018
Abril - 30/04/2018
Maio - 30/05/2018
Junho - 29/06/2018
Julho - 31/07/2018
Agosto - 31/08/2018
Setembro - 28/09/2018
Outubro - 31/10/2018
Novembro 30/11/2018
Dezembro (13° Salário) - 20/12/2018
Dezembro - 28/12/2018

BANCÁRIOS DE CAMPOS FAZEM ATO DE DEFESA DO BANCO DO BRASIL

ascom



O dia nacional de luta contra as reestruturações no Banco do Brasil e em defesa dos direitos dos bancários e bancárias foi marcado em Campos dos Goytacazes por um ato público na agência da Praça Quatro Jornadas, no Centro da cidade. O Sindicato começou a manifestação às 7h, com faixas, cartazes e carro de som.

Na agência, antes do início do expediente, os dirigentes conversaram com os funcionários. "A política do governo é isso aí que estamos vendo: quer vender a Caixa, quer vender o Banco do Brasil. Temos que seguir dizendo não ao desmonte dos bancos públicos", disse o presidente Rafanele Alves Pereira. "A agenda do governo segue retirando direitos e não vamos nos calar. A reforma trabalhista foi aprovada, mas vamos anular. E a reforma da Previdência nós não vamos permitir que passe".

O diretor jurídico do Sindicato, Hugo Diniz, explicou aos funcionários do Banco do Brasil que continua a luta para assegurar que as comissões sejam incorporadas ao salário. Já existe uma liminar favorável, resultado da ação movida pela Contraf e pelo Ministério Público do Trabalho, mas ainda não foi cumprida. "O banco alegou falha no processamento da folha de pagamento e prometeu corrigir. Vamos continuar cobrando que a decisão seja acatada e os direitos dos funcionários sejam assegurados", disse Hugo.

VACINAÇÃO CONTRA FEBRE AMARELA: PREFEITURA DIVULGA POSTOS

Terceira Via


Prefeitura de Campos divulga pontos de vacinação contra a febre amarela

A dose da vacina é única e não será fracionada como em outras cidades fluminenses e de outros estados

CAMPOS 
POR ASCOM
 
19 DE JANEIRO DE 2018 - 9h14
Desde 2017, cerca de 260 mil pessoas tomaram a vacina contra a doença em Campos (Foto: Supcom)
O município de Campos participará da campanha do Dia “D” de vacinação contra a febre amarela, no próximo dia 27, conforme orientação da Secretaria de Estado de Saúde (SES). Serão 12 polos pela cidade, no horário de 09h as 15h. Nos demais dias, a vacina pode ser tomada das 08h às 16h nos mesmos pontos. A dose da vacina é única e não será fracionada como em outras cidades fluminenses e de outros estados.
Os polos de vacinação são: Centro de Saúde, na sede da Secretaria Municipal de Saúde; Centro de Saúde de Guarus; CRTCA I; CRTCA II; Penha; Farol Lagamar; Morro do Coco; Tocos e UPHs de Travessão, Ururaí, Santo Eduardo e São José.
Devido o estado do Rio de Janeiro ter confirmado quatro casos de febre amarela, nos primeiros dias do ano, sendo três óbitos, o Ministério da Saúde considerou o Estado como Área com Recomendação de Vacinação (ACRV).
“Nunca houve interrupção da vacinação contra febre amarela em Campos. Em 2017, a nossa vacinação foi modelo para o estado do Rio de Janeiro inteiro e conseguimos a cobertura de quase 100% da área de alerta. A parte central da cidade é que ainda precisa de maior cobertura devido um desinteresse da população durante a última campanha”, explicou a Coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Roberta Lastorina.
Desde 2017, cerca de 260 mil pessoas tomaram a vacina contra a doença em Campos. A diretora da Vigilância de Saúde, Andreya Moreira, ressalta que a dose da vacina em Campos é de 0,5 ml, sem fracionamento. “A população deve aproveitar a dose completa da vacina, que é esta que estamos oferecendo. Esta dose é única para a vida inteira. Já a dose fracionada tem duração de oito anos”, ressaltou.